Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Por Tatiana Rodrigues / Emerson Soares, em 15 de Outubro de 2007

É difícil andar no Parque da Cidade e não cruzar com alguém sobre patins. As botas com rodinhas são um sucesso entre crianças, jovens e adultos. Guilherme Araújo, 5 anos, ganhou um no Dia das Crianças e já sabe dizer porque é bom. "Porque desliza!", comenta Guilherme.

O auxiliar administrativo Leonardo Alves Silva também gosta de deslizar sobre as rodas. Há 15 anos ele trocou o skate pelos patins e não liga para o preconceito em torno do esporte. "Principalmente da parte dos skatistas. Eles dizem que o skate é para homem e os patins são para as mulheres", conta Leonardo.

 

Régio e a secretária Juliana da Silva ainda eram namorados quando ela o ensinou a andar de patins. Um esforço que valeu a pena. "É ótimo porque todo o final de semana a gente está junto, fazendo o mesmo esporte", afirma Juliana.

A patinação surgiu durante a Idade Média, na Europa. No início, os patins eram usados apenas como transporte para atravessar os lagos congelados. Com o tempo, ganharam rodinhas e hoje fazem parte do lazer de muita gente.

Há 14 anos, a professora de educação física Fátima Figueiredo dá aulas de patinação no Parque da Cidade. No início eram só crianças. Hoje, os adultos são maioria. Uma maneira de fazer exercício sem freqüentar a academia.

“É uma atividade prazerosa porque você trabalha ao ar livre, não sente aquela coisa maçante. Você tem o resultado sem perceber. Você escuta uma música, está ali patinando e tem um ótimo resultado”, diz Fátima.